Fotógrafo resgata criança em explosão de ônibus que matou 126 na Síria

A imagem do fotógrafo sírio Abd Alkader Habak correndo com um menino sírio ferido nos braços após a explosão de um comboio de ônibus perto de Aleppo, no último sábado (15) está se tornando mais um símbolo da violência contra crianças na guerra civil da Síria, após as fotos do pequeno Alan Kurdi morto em uma praia turca e de Omran Daqneesh empoeirado em uma ambulância em Aleppo.

Ao se deparar com crianças mortas, o profissional se ajoelhou e chorou: “o que testemunhamos foi indescritível”. (Foto: Reprodução)

Habak estava próximo dos ônibus que foram destruídos em uma explosão na qual 126 pessoas morreram, entre elas 68 crianças. Em uma matéria da CNN, ele conta que chegou a ser derrubado pelo impacto da explosão, mas logo se levantou e correu para tentar ajudar, antes de pensar em fotografar.

A primeira criança de quem ele se aproximou estava morta, e alguém gritou para que ele se afastasse da segunda, porque o local era muito perigoso e ela também já teria morrido. Mas ele percebeu que o menino, que devia ter cerca de seis anos, ainda respirava. Foi então que o pegou no colo e correu até uma ambulância, ainda com a câmera no pescoço. A cena foi registrada por um de seus colegas, Muhammad Alrageb.

“O menino estava segurando firme a minha mão e olhando para mim”, contou o fotógrafo à CNN. Ele disse, no entanto, não saber se a criança sobreviveu.

Habak ainda voltou para tentar ajudar mais feridos, mas, ao se deparar com mais uma criança morta, se ajoelhou e chorou. Esse momento de desespero também foi registrado por um de seus colegas. “Eu fui dominado pela emoção. O que eu e meus colegas testemunhamos foi indescritível”, explicou.

Mais Letras e Vídeos

Deixe uma resposta