Menino encontra avião da II Guerra com restos mortais de piloto

Os destroços estavam enterrados na fazenda onde Daniel mora com sua família

Um menino de 14 anos encontrou os destroços de um avião alemão datado da Segunda Guerra Mundial com os restos mortais do piloto na cabine de comando. Daniel Kristiansen fazia uma pesquisa para sua aula de história quando encontrou os escombros enterrados no solo da fazenda onde mora, no norte da Dinamarca.

Os destroços pertencem a ME 109 Messerschmitt, usado pela Alemanha nazista como caça para bombardeios, escolta e aeronave de reconhecimento. O modelo era um dos mais versáteis da frota de Hitler.

Klaus Kristiansen, pai de Daniel, contou a emissora local DR P4 Nordjylland que seu avô havia lhe contato que um avião caiu na propriedade de sua família durante a guerra, em novembro de 1944. Ele, no entanto, acreditava que os destroços da aeronave já haviam sido todos retirados.

Quando seu filho recebeu como lição de casa levar objetos da Segunda Guerra Mundial para a escola, o fazendeiro brincou com Daniel que eles deveriam procurar pelos restos do avião. Os dois então saíram pela propriedade, localizada próxima a cidade de Birkelse, com um detector de metal.

Contudo, não esperavam encontrar nada. “Eu esperava que pudéssemos encontrar no máximo alguns pratos antigos ou alguma outra coisa para o Daniel mostrar na escola”, contou à emissora americana CNN.

Mas os dois logo localizaram resquícios de metal embaixo da terra e começaram a cavar. Com a ajuda de uma escavadeira emprestada de um vizinho, conseguiram alcançar mais de seis metros de profundidade e encontrar as primeiras peças da carcaça do avião. Depois, identificaram as partes do corpo do piloto, pedaços de suas roupas e objetos pessoais.

Quando percebeu que haviam descoberto algo extraordinário, Klaus Kristiansen contatou alguns historiadores especialistas na Segunda Guerra Mundial e as autoridades dinamarquesas. “Encontramos livros, uma carteira com dinheiro”, contou o fazendeiro à BBC. “Não tocamos em nada, só colocamos em alguns sacos. Um museu está tomando conta de tudo agora. Acho que tem muita informação importante nesses livros e papéis”.

Kristiansen afirma que sua família é proprietária do terreno há décadas e que nunca imaginou que os destroços ainda estivessem escondidos ali. O local onde o avião estava enterrado era usado pelo fazendeiro como pasto para gado.

Deixe uma resposta